14th Nov 2011

  1. Sign in
    1. [i][i]s.f. Falta de reconhecimento, de gratidão; qualidade do que é ingrato. Pagar com ingratidão, não ter reconhecimento. Classe gramatical de ingratidão: Substantivo feminino Separação das sílabas de ingratidão: in-gra-ti-dão Possui 10 letras Possui as vogais: a i o Possui as consoantes: d g n r t A palavra Ingratidão escrita ao contrário: oãditargni Sinônimos: egoísmo, desagradecimento, esquecimento, reversão de rumos e prioridades, abandono, ofensa... Frases: A ingratidão é filha da soberba (Miguel de Cervantes) Se o ingrato percebesse o fel da amargura que lhe invadirá, mais tarde o coração, não perpetuaria o delito da indiferença (Emmanuel) Todos aqueles, cuja alma é sufocada pela soberba e a arrogância, sempre estão fazendo se identificar também pela ingratidão, um dos mais baixos sentimentos que assolam a humanidade (Ivan Teorilang) A ingratidão provém, com certeza, da impossibilidade de pagamento da dívida (Honoré de Balzac) Normalmente, o desejo do não comprometimento com uma troca de favores, faz com que a ingratidão seja imperante naquele cuja alma já se corrompeu (Ivan Teorilang) Não é necessário mostrar beleza aos cegos, nem dizer verdades aos surdos. Mas nunca minta para quem te escuta, nem decepcione os olhos de quem gosta de você (Tainara Liarte) A ingratidão consiste em esquecer, desconhecer ou reconhecer mal os benefícios, e se origina da insensibilidade, do orgulho ou do interesse (Charles Duclos) A ingratidão humana não tem limites (Gabriel G. Márquez) Fábula: Há uma história do tempo das monarquias que ilustra esta verdade: Um rei, famoso pela prática da justiça em todo o seu reino, colocou um sino numa torre, num morro bem visível. Qualquer cidadão que se achasse injustiçado, bastava puxar as cordas do sino para ter o seu caso julgado imediatamente. Mas o reino era tão justo que o sino caiu em desuso e a vegetação tomou conta da torre. Um dia, para espanto de todos, o sino começou a tocar. Os oficiais, despachados imediatamente ao lugar, descobriram que um jumento velho, magro e abandonado, ao tentar comer o capim que cobria o pé da torre, puxava a corda e o sino tocava. Os oficiais, às gargalhadas, foram contar o caso ao rei. O rei não achou graça nenhuma. Mandou descobrir quem era o dono do animal. O dono, um lavrador próspero, que costumava maltratar animais e empregados, foi levado diante do rei. A sentença não demorou: "Este animal te serviu durante longos anos; agora, que não pode mais trabalhar, o abandonaste. Homem ingrato! Cuida deste animal o resto de sua vida". Certa vez, isso há muitos anos, em um funeral de um pai de família, ouvi o pastor dizer ao filho mais velho para que se aproximasse e desse o ósculo, o último beijo no pai que ia descer à campa fria. O filho, que até então não chorara a partida do pai, relutante, aproximou-se, beijou-o e a seguir desatou numa crise de choro, um choro incontido, desesperado e amargo. Perguntaram-lhe o porquê daquilo, ao que ele respondeu: “Esse não é o último beijo, mas sim o único em toda a minha vida...”. Coisas da vida que só afloram na hora da morte... Ter um filho ingrato é mais doloroso que a picada de uma serpente. Bíblico: “E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe. E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz; e caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou.” (Lucas 17 – 12 a 19) Poema: Punge-me ver um rosto sorridente mascarar o intenso ódio que a alma abriga. Punge-me beijar a mão clemente submissa e gentil, boca inimiga. Punge-me ver calar covardemente, deixando que a calúnia alguém persiga. Punge-me ver ferir traiçoeiramente a picada sutil de infame intriga. Mas meu pungir no horror se transfigura, quando vejo ferir a criatura o hediondo punhal da ingratidão (Aécio Kauffmann) O Ingrato É um egoísta vaidoso e prepotente, pleno de idéias erradas e extremamente carente. É uma pessoa que sempre vê somente o lado negativo das coisas e das pessoas, e não enxerga valores nos seus semelhantes, mesmo naqueles que o ajudaram. O ingrato esquece com muita facilidade… não as coisas ruins, mas esquece das coisas boas que fizeram por ele, vive no “seu mundo” e busca apenas os seus próprios interesses. Outra característica da personalidade do ingrato é a desobediência que leva a rebeldia, ele acha que sabe das coisas e não ouve e não aceita conselho de ninguém, na verdade, ele não aceita se submeter à autoridade porque ele realmente acredita que sabe o que é bom para si.[/i]

More from poeiraeterna

  1. 31poeiraeterna
  2. 30poeiraeterna
  3. 29poeiraeterna
  4. 28poeiraeterna
  5. 27poeiraeterna
  6. 26poeiraeterna
  7. 25poeiraeterna
  8. 24poeiraeterna
  9. 23poeiraeterna
  10. 22poeiraeterna
  11. 21poeiraeterna
  12. 20poeiraeterna
  13. 11poeiraeterna
  14. 8poeiraeterna
  15. 5poeiraeterna
  16. 2poeiraeterna
  17. 1poeiraeterna
  18. 31poeiraeterna
  19. 30poeiraeterna
  20. 29poeiraeterna
  21. 27poeiraeterna
  22. 24poeiraeterna
  23. 20poeiraeterna